10 de ago de 2012

A Culpa é das Estrelas - John Green

postado por Caleb Henrique



Editora Intrínseca, 2012, 288 páginas. (Skoob) 
.
Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante – o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos –, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Avaliação: 5/5 + FAV.



Existem escritores e escritores incríveis, inspiradores e apaixonantes. E existe o John Green. 

Se tiver a oportunidade, escolha o último. 

Ele sem dúvidas te surpreenderá.


A Culpa é das Estrelas é um dos livros que mais desejei ler este ano e agora que finalmente o fiz, bom, não posso dizer que me decepcionei, pois muito pelo contrário, me surpreendi, ri, chorei e, como o queridíssimo Markus Zusak enfatizou na capa, ainda quero mais. Então aviso: tentarei ser crítico ao máximo e isentar os indesejados spoilers, mas essa resenha será totalmente emocionada, pois eu não a saberia escrever de outra maneira.

Como enfatizei alguns posts atrás o John Green me conquistou com Quem é você, Alasca?, um dos livros mais emocionantes e bem escritos que já tive a alegria de ler nesta vida. Mas, preciso pedir perdão a Alasca, Miles e todos os outros personagens memoráveis que sempre levarei em meu coração, pois a Hazel e o Gus passaram a ocupar um espaço enorme nele e, bom, se antes eu gostava do John Green, hoje eu o amo. Não digo isso da boca para fora, por favor, não faça mal juízo de minha pessoa, a questão é que simplesmente não há como não amar alguém que nos presenteia com tão bela, vívida e realista estória. A culpa é das estrelas é mais que um livro, é um presente incomparável, uma lição e uma experiência que todo leitor deveria ter a chance de experimentar, a experiência da transformação. Deixe-me tentar explicar como funciona: Você inicia a leitura do livro como a de outro qualquer, expectativa à mil, talvez, mas acredite, não há nada que possa te preparar ou poupar da imensa gama de sentimentos que este exemplar te levará a sentir. Então você conhece os personagens, tão reais que poderiam morar na casa vizinha, e se encanta com suas características peculiares e únicas, assim como deve ser. A partir daí você começa uma jornada onde, sem dúvidas, irá sorrir, chorar, crescer e se transformar, na medida em que os personagens fazem o mesmo. E, cá entre nós, há muitas poucas sensações melhores do que essa nessa vida. Muito poucas mesmo.

Se eu tivesse de definir a experiência de ter lido A Culpa é das Estrelas em uma única palavra, ela seria Gratidão, pois sou e sempre serei grato ao Green por cada sorriso, descoberta, lágrima – que foram muitas e por vezes incessantes – e pela experiência de vida que o mesmo me levou a adquirir. E falando em lágrimas, tenho de confessar. Este foi o primeiro livro que me fez parar a leitura, correr para o quarto, sentar abraçando os joelhos enquanto chorava, soluçava e tremia de forma, para muitos, vergonhosa. Portanto repito: Este é um livro perfeito, então, se um dia você tiver a sorte de tê-lo em mãos, não deixe para depois. Inicie a leitura e viva tudo o que só o John Green pode te levar a viver.

Bom, juro, eu poderia passar horas aqui discorrendo sobre este livro e ainda assim não conseguiria expressar de forma suficientemente boa à maravilha de tê-lo lido. E, bom, dei cinco estrelas por ser a nota máxima do blog, mas minha vontade é de dar uma constelação inteira.

Enfim, vamos à quote? (que foi difícil de escolher dentre tantas incríveis).

Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. (Pág. 235)

SORTEIO

  • Para participar preencha o formulário abaixo. (Rafflecopter)
  • NOTA: Apenas os QUATRO PRIMEIROS ITENS DO FORMULÁRIO SÃO OBRIGATÓRIOS, o restante são chances extras (muita gente se confunde nesse quesito).
  • Residir em território brasileiro.
  • O sorteado receberá um e-mail do blog e deve responder até 72h após o contato.
  • O prazo para participação é até 15/01/2013


Assim me despeço, com a promessa de voltar.
E como há braços, abraços. DFTBA!